02 agosto 2013

O Amor é Incondicional

O Amor é incondicional Mas Deus demonstra o Seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. - Romanos 5:8

Se alguém perguntasse, "Por que você ama ?" - o que você diria?

A maioria dos homens mencionaria a beleza, seu senso de humor, sua bondade ou sua força interior. Talvez falasse, da boa pessoa que ela é.

As mulheres provavelmente diriam algo sobre a aparência ou sobre sua personalidade. Elas o elogiariam pela estabilidade ou pelo caráter. Elas poderiam dizer que o amam porque ele está sempre presente. Ele é generoso. Ele é ajudador.

Mas e se dentro de alguns anos perdesse todas essas coisas? Você ainda amaria?
Baseado nas respostas acima, a única resposta lógica seria "não".

Se as suas razões para amar têm ligação com as qualidades - e se essas qualidades, de repente ou gradualmente, desaparecerem - a sua base para amar se vai.
A única maneira de o amor durar por toda uma vida é se ele for incondicional.

A verdade é: o amor não é determinado por estar apaixonado, pelo contrário, ele é determinado por escolher amar. A Bíblia se refere a essa espécie de amor utilizando a palavra grega ágape. Ele se difere dos outros gêneros de amor que são: philos (amizade) e eros (amor sexual). Se o amor depende totalmente de ter interesses em comum, então a sua fundação é instável.
Pbilos e eros são mais responsivos por natureza e podem flutuar baseados em sentimentos.
O amor ágape, por outro lado, é desprendido e incondicional. Então, essa espécie de amor que forma uma base, onde resiste o desgaste e as rachaduras do tempo.

O amor ágape é aquele "na saúde ou na doença", "na riqueza ou na pobreza", "até que a morte os separe". É o único gênero de amor que é verdadeiro. Ele é assim porque é o gênero do amor de Deus. Ele não nos ama porque somos louváveis, mas porque Ele é amor.

A Bíblia diz, "Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e enviou Seu Filho como propiciação pelos nossos pecados" (1 João 4:10).

Se Ele insistisse que nos provássemos dignos de Seu amor, falharíamos miseravelmente. Mas o amor de Deus é uma escolha que Ele faz inteiramente por Ele mesmo. É algo que recebemos d’Ele e então compartilhamos com outros. "Nós amamos porque Ele nos amou primeiro" (1 João 4:19).

Se você diz, "Eu não lhe amo mais", ele na verdade está dizendo, "Eu nunca lhe amei incondicionalmente desde o início". Seu amor era baseado em sentimentos ou circunstâncias, não em compromisso.

O amor incondicional, isto é, o amor ágape, não será governado pelo tempo ou pelas circunstâncias. Isso não quer dizer, no entanto, que o amor que começa por razões erradas não pode ser restaurado e redimido. Quando a apreciação é baseada em um compromisso inabalável, experimentamos uma intimidade que não pode ser adquirida de nenhuma outra forma.

Porém, se não permitirmos que Deus plante o Seu amor dentro de nós, iremos lutar e fracassar na busca de amor.

O amor que "tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" (1 Coríntios 13:7) não vem de dentro. Ele só pode vir de Deus. A Bíblia diz que "Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 8:38- 39).

Esta é a espécie do amor de Deus. E felizmente - por uma escolha nossa - essa pode se tornar a espécie do nosso amor. Mas primeiro precisamos recebê-lo e compartilhá- lo.

Você não dirá mais: "Eu lhe amo porque ... ", você dirá: "Eu amo você e ponto final."

De: Desafio de amar

Um comentário: